Quinta-feira, 27 de Julho de 2017

Acorda ... a corda!

18699773_1401618966599743_4629106522075991962_n

Foto retirada do Google - Autor desconhecido

 

Acorda … a corda!

Porque não há danças, há música

não há arte, há artesanato

não há cultura, há folclore

não há fotografia, há imagens

não há cinema, há imaginação

não há teatro, há representação

não há religião, há superstição

Acorda … a corda!

Porque não há distâncias, há querer

não há viagens, há passeios

não há comida, há fome

não há pecado, há personalidade

não há “línguas”, há dialetos

não há céu, há espaço

não há nuvens, há água condensada

não há matemática, há lógica e números

não há medicina, há doença

não há politica, há poder

não há guerra, há armas

não há filosofia, há divagação

não há países, há divisões

Acorda … a corda!

Porque não há estradas, há caminhos

não há olhos, há visão

não há ouvidos, há audição

não há barulhos, há sons

não há sonhos, há desejos

não há mágoa, há dor

não há “história”, há passado

não há amores, há complementos

não há atração, há carência

não há beijos, há vontades

não há abraços, há necessidades

não há traições, há infidelidades

não há mentiras, há falta de verdades

não há sexo, há prazeres e orgasmos

Acorda … a corda!

Porque não há poetas, há sofrimento

não há livros, há escritores

Não há loucuras, há prazeres

Não há drogas, há vícios

não há vida, há viver …

e um dia a corda parte e tu nem acordas-te!


publicado por Paulo Brites às 16:45
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 26 de Julho de 2017

É sempre bom conhecer mais ...

DSC_7875-1.tif

Nikon D3200, 50-200mm @ 116mm, f/11, 1/500s, ISO 180
Por ai ... | Algarve | Portugal

 

Hoje a minha partilha é diferente, é de uma fotografia que tinha em arquivo e á qual, não encontrava nada para a legendar … mas é uma fotografia que gosto particularmente, não sei porquê, mas gosto e muito … e pronto … do nada e numa simples conversa, porque a vida tem coisas dessas, por isso vale a pena viver, enriqueci o meu espólio musical … desconhecia tal cantora, interprete, poetisa ou aquilo que lhe quiserem chamar mas, pelo que procurei conhecer … gostei!

E olha que desta vez não estou a ser “sínico” ou melhor “cínico” com “C” … é mesmo verdade!

E pronto … achei que esta música encaixava como complemento á minha fotografia … e sim, Encaixa! Finalmente partilho esta foto que tinha em arquivo …  

 

https://www.youtube.com/watch?v=8Sb19Pjdt70 

 


publicado por Paulo Brites às 05:54
link do post | comentar | favorito (1)
|
Terça-feira, 25 de Julho de 2017

Sigo a estrada que me vai levar ao sol

IMG_20170716_204603-1

HUAWEI  VNS-L31 @ 4mm, f/2, 1/460s, ISO 50

Lago de Alqueva | Alentejo | Portugal

 

“Por quê tanta pressa se já somos instantes, se a própria vida já passa a correr?” - Graça Aguiar

 

 

Em complemento fica aqui esta canção de André Sardet …

 

https://www.youtube.com/watch?v=mAVUxZOl-I8

 

Sigo a estrada que me vai levar ao sol

Há sete dias que caminho sem parar

Sou uma criança com licença para sonhar

Leio histórias em sorrisos de embalar

 

E vou pedir ao deus do sol para me adoptar

Perfilhar-me e nunca mais me abandonar

Afinal o sol também e meu

Quero o raio que só ele me prometeu

 

Nesta estrada o cansaço não existe

O fim esta longe mas o corpo não desiste

Levo nos braços a guitarra para tocar

Tenho por coro a velha estrela polar

 

E vou pedir ao deus do sol para me adoptar

Perfilhar-me e nunca mais me abandonar

Afinal o sol também e meu

Quero o raio que só ele me prometeu

 

Andre Sardet - Balada da Estrada do Sol


publicado por Paulo Brites às 14:47
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito (3)
|
Domingo, 16 de Julho de 2017

Não há qualquer tragédia mas um vinho a beber

DSC_7722-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 30mm, f/4.5, 1/50s, ISO 100
Por ai ... | Algarve

 

https://www.youtube.com/watch?v=4vUCGoalJoo

 

Prometo não falar de amor de gostar e sentir

Portanto não vou rimar com dor ou mentir

Joga-se pelo prazer de jogar e até perder

Invadem-se espaços trocam-se beijos sem escolher

Homens temporariamente sós que cabeças no ar

Não interessam retratos de solidão interior

Não há qualquer tragédia

Mas um vinho a beber

Partidas regressos conquistas a fazer

Tudo anotado numa memória que quer esquecer

Homens sempre sempre sós preferem perder

Homens temporariamente sós que cabeças no ar

Homens sempre sempre sós bolas de ténis no ar

Muito abatidos saltam e acabam por enganar

Homens temporariamente sós que cabeças no ar

Homens sempre sós nunca conseguem casar

 

Rui Reininho


publicado por Paulo Brites às 17:31
link do post | comentar | favorito (3)
|
Sexta-feira, 14 de Julho de 2017

Põe de lado o GPS

DSC_4704-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 22mm, f/10, 1/60s, ISO 100
Por ai ... | Alentejo

 

https://www.youtube.com/watch?v=zxDL-7z4iVw

 

Quero ir contigo embora

Para ficarmos na demora

De um beijo devagar

Vou tirar-te a pulsação

E dizer-te ao coração

Que te quero viajar

 

Quero ir contigo agora

Tu e eu por aí fora

E vais ver que estamos perto

Quando a gente chegar lá

Tu vais ver como isto dá

Como tudo bate certo

 

Ninguém chega se não for

E não indo ninguém sabe

Se aquilo que nos cabe

Contas feitas é o amor

 

Já agora que aqui estamos

Vamos ver como nos damos

Nós os dois nesse lugar

Deixa lá essas razões

Porque só os corações

Sabem como lá chegar

 

Põe de lado o GPS

Vamos ver o que acontece

Indo nesta direção

Pois eu tenho cá para mim

Que nós vamos dar por fim

Onde mora o coração

 

Põe de lado o GPS

Vamos ver o que acontece...

 

Letra: José Fialho Gouveia

Música - Rogério Charraz


publicado por Paulo Brites às 12:15
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 11 de Julho de 2017

Um dia ...

DSC_0191-1

Nikon D3200, 50-200mm @ 50mm, f/5.6, 1/50s, ISO 100
Herdade da Contenda | Moura | Alentejo

 

https://www.youtube.com/watch?v=kQkSdt6pg6Y

 

Eu preciso te falar

Te encontrar de qualquer jeito

Pra sentar e conversar

Depois andar de encontro ao vento

 

Eu preciso respirar

O mesmo ar que te rodeia

E na pele quero ter

o mesmo sol que te bronzeia

Eu preciso te tocar

e outra vez te ver sorrindo

E voltar num sonho lindo

 

Já não dá mais pra viver

Um sentimento sem sentido

Eu preciso descobrir

a emoção de estar contigo

Ver o sol amanhecer

e ver a vida acontecer

Como um dia de domingo

 

Faz de conta que ainda é cedo

Tudo vai ficar por conta da emoção

Faz de conta que ainda é cedo

E deixa falar a voz do coração

 

Gal Costa - Um dia de Domingo


publicado por Paulo Brites às 00:08
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 5 de Julho de 2017

Afinal como foi o teu dia?

DSC_8255-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 50mm, f/13, 1/640s, ISO 100
Por ai ... 

 

Conta-me

Como foi o teu dia.

Foi agrura ou poesia?

Música ou barulho?

Foste castelo, princesa?

Ou problemas e entulho?

E a tua alma?

Está quente?

Fria?

Afinal como foi o teu dia?

 

Tristão de Andrade


publicado por Paulo Brites às 21:16
link do post | comentar | favorito (1)
|
Segunda-feira, 3 de Julho de 2017

Liberdade

DSCF1354+LR5+A

Fuji FinePix S4500, 38mm, f/16, 1/640s, ISO 64
Por ai ... 

 

https://www.youtube.com/watch?v=14_-_N2xJ3I

 

 “Dizem que, na vida, quem perde o telhado ganha as estrela …” e de facto é uma pura verdade, se não mudares o que fazes hoje, todos os amanhãs serão iguais a ontem … e nem sempre o mais importante é o telhado mas sim a felicidade da liberdade! Como diz o Abrunhosa, vamos fazer o que ainda não foi feito … porque amanhã é sempre tarde demais.


publicado por Paulo Brites às 11:06
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 2 de Julho de 2017

Linhas cruzadas ...

DSC_8736-1

Nikon D3200, 18-55mm @ 18mm, f/6.3, 1/160s, ISO 100
Por ai ... 

 

https://www.youtube.com/watch?v=rz7Giz9clMM&app=desktop

 

Reajo a esse incómodo olhar

Nem quero acreditar

Que vem na minha direção

Há dias que estou a reparar

Nem queres disfarçar

Roubas a minha atenção

Aprecio o teu dom de tornar

Num clique o meu falar

Numa total confusão

Confesso que só de imaginar

Que te vou encontrar

Me sobe à boca o coração

 

E falas de ti

E Falas do tempo

Prolongas o momento

De um simples cumprimentar

Falas do dia

Falas da noite

Nem sei que responda

Perdido no teu olhar

 

É certo que sempre ouvi dizer

Que do querer ao fazer

Vai um enorme esticão

Mas haverá quem possa negar

Que querer é poder

E o nunca é uma invenção

Bem sei que este nosso cruzar

Pode até nem passar

De um capricho sem valor

Mas porque raio hei-de evitar

Se esse teu ar

Me trouxe ao sangue calor

 

Virgem Sutra - Linhas cruzadas


publicado por Paulo Brites às 18:57
link do post | comentar | favorito (1)
|

.Mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. Monsaraz ...

. Um olhar para Monsaraz

. Há sempre um por do sol p...

. Um raio de luz

. Bom Ano Novo

. O sonho

. A loucura de uma sombra o...

. De tempo a tempo

. Alentejo

. Wonderful life

.arquivos

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Sigo a estrada que me vai...

. Não há qualquer tragédia ...

. Momento

. Como é bom estar contigo!

.subscrever feeds