Quinta-feira, 3 de Novembro de 2016

Eu Sou do Tamanho do que Vejo

DSC_7656-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 18mm, f/9, 1/125s, ISO 100

Lisboa | Portugal

 

Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo...

Por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer

Porque eu sou do tamanho do que vejo

E não, do tamanho da minha altura...

Nas cidades a vida é mais pequena

Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.

 

Na cidade as grandes casas fecham a vista à chave,

Escondem o horizonte, empurram o nosso olhar para longe de todo o céu,

Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,

E tornam-nos pobres porque a nossa única riqueza é ver.

 

Alberto Caeiro, in "O Guardador de Rebanhos - Poema VII"

Heterónimo de Fernando Pessoa


publicado por Paulo Brites às 13:57
link do post | comentar | favorito
|

.Mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 12 seguidores

.pesquisar

 

.posts recentes

. Ver para além dos Olhos

. Simplicidade

. Se me deixasses ser

. Se sou tinta tu és tela ....

. La canción más hermosa de...

. Põe de lado o GPS

. A melhor foto das eleiçõe...

. 15 anos depois ...

. Encontro

. Particípio ...

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Sigo a estrada que me vai...

. Não há qualquer tragédia ...

. Momento

. Como é bom estar contigo!

.subscrever feeds