Quarta-feira, 31 de Maio de 2017

Amarelo ou Amarela?

DSC_6363-1-1

Nikon D3200, 50-200mm @ 200mm, f/11, 1/500s, ISO 360
Por ai ... | Alentejo | Portugal

 

Claramente que pinto da cor "Amarela"

 

"As cores com que vejo o mundo...
São as que moram no meu peito...
São leves?
São escuras?
São alegres?
São tristes?
São todas elas ?
Provavelmente!
Mas só eu as posso ver...
Sentir...
Pintar..
Ou transformar.
E agora que penso nisso...
Com que cores eu pinto o mundo?"

 

Graça Aguiar


publicado por Paulo Brites às 21:52
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 30 de Maio de 2017

Diz o povo que uma imagem vale mais que mil palavras

Diz o povo que uma imagem vale mais que mil palavras! Nem sempre é assim! Hoje a minha publicação não irá ter imagem, porque depois de analisar o meu arquivo fotográfico, infelizmente não consigo encontrar imagem alguma que ilustre as minhas palavras. Recorri ao nosso amigo “Google” e as únicas imagem adequadas a este meu texto, seriam imagens que iriam contra “aquela” classificação “para maiores de 18 anos”. Como tal e porque poderão existir “menores” a ver tal imagem resolvi partilhar unicamente o texto.

Tendo por base o meu comentário no Facebook na passada sexta-feira (Descubro tantas merdas sem querer… imagina se quisesse… Ui!!! Dava uma boa novela …), em que recebi algumas mensagens privadas a falar sobre o tema, resolvi escrever um pouco mais sobre isso.

No outro dia escrevi um texto, um texto que falava sobre o meu significado de amizade e, o que para mim é amizade. Claro que cada um de nós tem o seu conceito sobre tal acto tão sincero e tão nobre. Sabemos que o seu significado não é igual para toda a gente, tal como em algumas ciências exatas, que poderão existir vários caminhos para se chegar ao algarismo “2” também na amizade existem vários caminhos para se chegar e valorizar tão importante sintonia.

Não creio que uma amizade sincera e devota se possa repartir de igual forma por três ou quatro amigos … amizade tem condições irresolúveis. Por exemplo, deve ser e conter um destinatário singular, a individualidade de uma amizade é tudo.

Não creio que se possa considerar amizade pura quando o que se fala entre dois amigos seja partilhado com uma qualquer terceira pessoa, seja ela amiga ou não (isso chama-se outra coisa)! Falar com um “amigo” é sempre algo de muito intimo, tal como já referi, essa conversa terá que ter um destinatário singular. Quando essa individualidade se perde ou se quebra será que se poderá dizer e chamar “amizade”?

Creio que não!

Deixo aqui um pouco do meu conceito de amizade: Um amigo não tem que aprovar ou reprovar o que fazes … mas também um amigo, não se tem que sentir ofendido com uma qualquer opinião dele sobre o que fazes (amigo que é amigo tem sempre liberdade e aceitação para a sua opinião) … e claro que amigo quer sempre o melhor para o seu amigo. Mas amigo não diz “amem” a tudo … amigo alerta, avisa … opina … amigo dá conselhos … amigo dá o ombro mesmo não concordando mas amigo que é amigo só o dará depois de avisar, comentar … alertar … e sim, depois dá o ombro, aceita e apoia, mesmo não concordando! Mas também diz: Faz a tua escolha que eu irei apoiar-te mesmo não concordando contigo! Mas amigo que é amigo nunca quebra a singularidade e a individualidade de uma qualquer conversa “entre amigos”.

Tendo por base esse meu conceito de “amizade” falta referir que quando se quebra essa individualidade na amizade claro está, tal “amigo” tenha inevitavelmente de passar para uma outra classificação, a de “conhecido muito próximo”, isso porque não gosto de passar do 8 para o 80 … mas verdade o que se poderá dizer e fazer? Quando se descobre por terceiras pessoas algumas conversas (singulares e individuais) unicamente feitas com um “amigo” …

Em jeito de conclusão e relembrando o meu Avô, tem cuidado com os amigos, tens menos do que aqueles que julgas ter … existem “amigos” que sem margem para duvidas um dia te irão falhar, um dia vais dizer para ti mesmo que afinal tal “amigo” não era o que pensavas … um dia irás ter uma decepção … por isso escolhe bem quem tu consideras ou poderás chamar “amigo”.

E é isso… Beijinhos e abraços!


publicado por Paulo Brites às 14:09
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 29 de Maio de 2017

O "creme" e o azul ...

DSC_1526-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 36mm, f/11, 1/500s, ISO 360
Mértola | Alentejo | Portugal

 

Agora não! Por agora só quero continuar com a recordação do teu sorriso, quero que te aguentes forte! Sabes, por existir uma avaria na máquina, não significa que não exista cerveja! Solta os teus cabelos … lança o teu charme … puxa os cantos da boca para cima e segue o teu caminho! Caminha de lado se não tens espaço, vai pedindo “com licença” mas nunca te esqueças dos homens de camisa azul. Os homens de camisa azul são sempre homens atentos … o azul é sempre uma cor que combina com o “creme” … um metro, dois metros … segue em frente, a música está alta e isso vai dar-te confiança … continua, não soltes os cantos da boca. São eles que te fazem ser o que és!

Depressa vai chegar o rio e é sempre bom sentir o seu cheiro. Existem rios verdes, amarelos e até existem rios negros … existem rios de todas as cores mas mesmo que seja um rio a fingir, um rio improvisado, sem dúvida que esse rio fica bem mais bonito se for azul! Porque um homem de camisa azul sempre irá recordar os cantos da tua boca que ficam tão bonitos quando estão lá em cima … uma cadeira, uma almofada, não interessa! O que interessa é que o azul e o creme são sempre cores que ficam na lembrança para um homem de camisa azul!


publicado por Paulo Brites às 19:10
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 26 de Maio de 2017

Reflexos

DSC_4395-1-1

Nikon D3200, 18-55mm @ 50mm, f/6.3, 1/160s, ISO 100
Por ai ... | Alentejo | Portugal

 

"Sou o reflexo dos meus erros
A imagem do meus acertos
A tentativa de acertar
O acerto de tentar
O humano de errar
O aprender de observar
O louco de amar
Sou o reflexo dos meus erros
A imagem do meus acertos..."

Valdivino Júnior


publicado por Paulo Brites às 00:52
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito (1)
Terça-feira, 23 de Maio de 2017

Amarela ...

DSC_9876-1-2

Nikon D3200, 50-200mm @ 135mm, f/11, 1/400s, ISO 400
Por ai ... | Alentejo | Portugal

 

https://www.youtube.com/watch?v=GOIYXtcEv0k

 

Verde, vermelho … azul, branco, preto … não interessa … porque existem locais, sítios, regressos … existe tudo, mas tudo o que existe e que foi bom é tudo o que deixa saudades e sem dúvida alguma que de todas a cores que mais recordo … é a cor “amarela”!

 

“Se sou tinta

Tu és tela

Se sou chuva

És aguarela

Se sou sal

És branca areia

Se sou mar

És maré cheia

Se sou céu

És nuvem nele

Se sou estrela

És de encantar

Se sou noite

És luz para ela

Se sou dia

És o luar …” 

Flor de lis - Todas As Ruas do Amor

 

Será que separar as sílabas e escrever “amar-ela” o seu significado contínua igual? Não sei … somente sei que será sempre uma cor presente em mim! Sempre está e estará em mim … a cor “Amarela”.

 

 


publicado por Paulo Brites às 18:49
link do post | comentar | favorito (1)
Sexta-feira, 19 de Maio de 2017

De que serve ter o mapa se o fim está traçado

DSC_4680-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 18mm, f/4.5, 1/15s, ISO 800
Por ai ... | Alentejo | Portugal

 

https://www.youtube.com/watch?v=w4ldfmoMoZk

 

De que serve ter o mapa se o fim está traçado

De que serve a terra à vista se o barco está parado

De que serve ter a chave se a porta está aberta

De que servem as palavras se a casa está deserta

 

Aquele era o tempo em que as mãos se fechavam
E nas noites brilhantes as palavras voavam
E eu via que o céu me nascia dos dedos
E a Ursa Maior eram ferros acessos
Marinheiros perdidos em portos distantes
Em bares escondidos em sonhos gigantes
E a cidade vazia da cor do asfalto
E alguém me pedia que cantasse mais alto

Quem me leva os meus fantasmas
Quem me salva desta espada
Quem me diz onde é a estrada

Aquele era o tempo em que as sombras se abriam
Em que homens negavam o que outros erguiam
Eu bebia da vida em goles pequenos
Tropeçava no riso abraçava venenos
De costas voltadas não se vê o futuro
Nem o rumo da bala nem a falha no muro
E alguém me gritava com voz de profeta
Que o caminho se faz entre o alvo e a seta

 

Pedro Abrunhosa - Quem me leva os meus fantasmas


publicado por Paulo Brites às 01:06
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 17 de Maio de 2017

Mértola 2015

DSC_1479-2

Nikon D3200, 50-200mm @ 50mm, f/11, 1/400s, ISO 400
Mértola | Alentejo | Portugal

 

Muito perto em termos de data do festival Islâmico em Mértola, fica aqui uma foto minha que foi menção honrosa na revista Nikon Club do Brasil e que foi tirada na edição do referido festival em 2015.


publicado por Paulo Brites às 23:28
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 16 de Maio de 2017

Só quero ...

DSC_2817-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 32mm, f/11, 1/500s, ISO 360
Por ai ... | Costa Vicentina | Portugal

 

" ... eu só quero a calmaria de um lugar que sopre o vento da Paz."


publicado por Paulo Brites às 17:05
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 15 de Maio de 2017

Obrigado

540120_609588625737826_673521485_n editado

 


publicado por Paulo Brites às 18:49
link do post | comentar | favorito

Vamos?

DSC_7356-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 28mm, f/9, 1/200s, ISO 100
Por ai ... | Algarve | Portugal

 

https://www.youtube.com/watch?v=14_-_N2xJ3I

 

Quando foi a última vez que fizeste alguma coisa pela primeira vez? Vamos?


publicado por Paulo Brites às 17:14
link do post | comentar | favorito
Sábado, 13 de Maio de 2017

Por ai ... num nascer de sol no Alentejo

DSC_9731-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 48mm, f/5.6, 1/320s, ISO 100
Por ai ... | Alentejo | Portugal

 

https://www.youtube.com/watch?v=P5GB2JTJrEg

 

“Não chores por ter perdido o pôr do sol, pois as lágrimas te impedirão de contemplar as estrelas.” Antoine de Saint-Exupéry

Neste caso ... impediriam de ver o nascer  


publicado por Paulo Brites às 16:21
link do post | comentar | favorito (1)
Sexta-feira, 12 de Maio de 2017

Somente Monsaraz

DSC_9769-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 18mm, f/10, 1/30s, ISO 100
Monsaraz | Alentejo | Portugal

 

"Aproveite bem as pequenas coisas ... um dia você vai saber o quanto elas eram grandes."

 

Robert Brault


publicado por Paulo Brites às 11:22
link do post | comentar | favorito (1)
Quarta-feira, 10 de Maio de 2017

Pensamentos

DSC_9781-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 32mm, f/7.1, 1/160s, ISO 100

Monsaraz | Alentejo | Portugal

 

Não penses demais ... o óbvio é a verdade mais dificil de se ver. 


publicado por Paulo Brites às 22:35
link do post | comentar | favorito

O que os olhos vêm ...

DSC_9792-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 18mm, f/3.5, 1/25s, ISO 100

Monsaraz | Alentejo | Portugal

 

Os olhos são inúteis quando a mente é cega. Pior que aquele que não quer ver é aquele que a mente não consegue deixar ver, ou melhor mesmo vendo, finge que não vê …


publicado por Paulo Brites às 03:58
link do post | comentar | favorito (1)
Terça-feira, 9 de Maio de 2017

Olha ...

DSC_8774-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 22mm, f/9, 1/80s, ISO 100

Monsaraz | Alentejo | Portugal

 

" ... Olha … tive uma ideia! – Diz ele

- Sim diz … - Diz ela

- Anota num post-it para que não te esqueças - Diz ele

- E porquê? – Pergunta ela

- Porque será importante que não te esqueças do que te digo, porque mais cedo ou mais tarde te vás lembrar … - Diz ele

- Talvez de uma forma muito subtil eu já me aperceba disso … detesto quando tens razão. – Diz ela

 

Excerto do meu próximo projeto – © Paulo Brites


publicado por Paulo Brites às 15:03
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 8 de Maio de 2017

Peregrino das palavras

DSC_8397-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 18mm, f/10, 1/320s, ISO 100

Lago de Alqueva | Monsaraz | Portugal

 

Peregrino das palavras

 

Nos dias baços de sol ausente
havia lâminas expostas ao vento
e os pássaros da minha rua
anichavam-se nas dobras nuas
em trinados que enchiam a noite
dádiva de palavras, ágape pobre
de rimas, estrofes ao sabor do acaso
quase sempre a memória vivia
de pequenos nadas sepultados
nas esquinas dos dias idos,
soltava-se um rio tranquilo de margens
onde as palavras lavadas de significado
possuíam o aroma do dicionário
livre a que poeticamente pertencem
a gota vulgar da chuva miúda
é agora lágrima bendita a escorrer
até ao parapeito da janela aberta
sobre o mundo mágico do vate
quase prece quase louvor,hino
que desperta a sensualidade
onde habita o verso o poema
e o poeta peregrino das palavras.

 

in "Uma gaivota que debica a madrugada" página 44, 2001 Luís Filipe Marcão
Aparição Edições do Alentejo Lda


publicado por Paulo Brites às 23:46
link do post | comentar | favorito

Mas às vezes existem ...

DSC_9746-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 18mm, f/10, 1/250s, ISO 100

Por ai ... | Alentejo | Portugal

 

"Não inventes momentos mágicos para fugir à compreensão da verdade."

 

Graça Aguiar in Vento do Norte (lançamento no proximo dia 20 de Maio)


publicado por Paulo Brites às 16:52
link do post | comentar | favorito
Domingo, 7 de Maio de 2017

Ainda te hei-de ver ...

DSC_4873-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 48mm, f/8, 1/320s, ISO 100

Porto Covo | Alentejo | Portugal

 

https://www.youtube.com/watch?v=N_MLJOJmATg

 

Ainda te hei-de ver

talvez vendida

a uma ninharia qualquer

 

e desaparecer

talvez perdida

já sem nada a perder

 

no mar cinzento e sombrio

pelas vagas destruidas

essa proa altiva

 

no mar de sonhos vazios

de ti propria fugitiva

sem história sozinha e esquecida

 

pagava pra ver

quem atrás dos panos

se esconde afinal

 

quem queres

teu prazer

floresta de enganos

meu falso cristal

 

deitada a perder

os mais sagrados vicios

tornava-me santo enfim

sem regatear sequer os sacrificios

sem nada a sobrar de mim

 

Paulo Gonzo - Pagava pra ver


publicado por Paulo Brites às 19:06
link do post | comentar | favorito (1)
Sexta-feira, 5 de Maio de 2017

Por ai ... mais um por do sol

DSC_5819+LR5+A

Nikon D3200, 18-55mm @ 36mm, f/10, 1/50s, ISO 100

Por ai ... | Algarve | Portugal

 

Naquela tarde de Julho

na praia do pintadinho

na areia escrevi o teu nome

com ternura e carinho,

 

mas o mar com a sua bravura

o teu nome veio apagar

e eu com o meu olhar

fotografei e não o deixei abalar;

 

Não desisto do meu desejo

e gritarei com todas as forças!

É assim que te vejo

 

e, aconteça o que acontecer

nada vai apagar

o que por ti sinto e que estou sempre a recordar.

 

© Paulo Brites


publicado por Paulo Brites às 13:45
link do post | comentar | favorito (1)
Quarta-feira, 3 de Maio de 2017

Por ai ... no fim do mundo

DSC_6507-1-2

Nikon D3200, 18-55mm @ 18mm, f/9, 1/250s, ISO 100

Por ai ...no fim do mundo | Alentejo | Portugal

 

“Desista … mas desista aos poucos para dar tempo de não desistir”


publicado por Paulo Brites às 19:15
link do post | comentar | favorito (1)

.Mais sobre mim

.pesquisar

 

.arquivos

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

.tags

. alandroal

. aldeia da luz

. alvito

. amieira

. arraiolos

. beja

. blog

. cabo verde

. castelo de vide

. costa alentejana

. costa da caparica

. divor

. elvas

. évora

. ferreira do alentejo

. fonte da telha

. juromunha

. lago de alqueva

. lagos

. lisboa

. mar

. marrocos

. marvão

. meco

. monsaraz

. moura

. mourão

. por aí

. porto covo

. portugal

. praia da marinha

. praia de santa eulália

. praia do carvoeiro

. praia dos castelejos

. praia dos tomates

. praia grande de pera

. reguengos de monsaraz

. sagres

. terena

. vila nova de milfontes

. todas as tags

.Mensagens

.subscrever feeds